Loading...

Pesquisar neste blogue

A carregar...

quinta-feira, 13 de maio de 2010

Instituto de Psiquiatria – Ipq

Do hospital das clínicas da Faculdade de medicina da USP
Presidente do Conselho Diretor: Dr. Wagner Farid Gattaz
:: Serviço Social
O Serviço Social na elaboração de propostas e desenvolvimento de suas atividades compreende o paciente psiquiátrico, como um indivíduo que tem papeis significativos no contexto familiar, social e de trabalho, e que passa a enfrentar mudanças em sua vida a partir do momento do transtorno mental.
Equipe Técnica:
Diretora: Takako Sumihiro Katsuda
Assistentes Sociais:
Carla de Paula Machado Rehder
Célia Regina César Rojo (Comissionada)
Cireny Cunha Cabeças
Eliana Maria Coelho
Hevely Gonçalves da Silva Moreno
Isabele Filgueiras dos Santos (Aprimoranda)
Isa Silva Vasconcellos
Marcia Pinto da Fonseca Abrahão
Meimei Maria Murgolo Marcelino
Encarregada do setor administrativo:
Maria Aparecida Sousa Santos



Histórico:
1953 - A Assistente Social Mina Berezovsky, implanta o Setor de Serviço Social Médico, na época denominada Clínica Psiquiátrica. A abordagem técnica revestia-se de forte influência norte americana, fruto do intercâmbio cultural com a "Internacional Institute of Education" de New York, onde nossos assistentes sociais buscavam conhecimento como bolsistas.
O trabalho tinha dois enfoques básicos:
- caso individual: estudo-diagnótico social e intervenção; visitas domiciliares; encaminhamento a outras instituições médicos-sociais e fornecimento de auxílios concretos.
- triagem e seleção econômico-social: determinada pela Administração do H.C., a assistência médica e hospitalar deveria ser prestada aos doentes sem recursos - "indigentes". Cabia ao Serviço Social aplicar critérios de seleção sócio-econômica para a admissão de doentes da época.
1967 - É dessa década, a realização sistemática de estudo-diagnóstico social com a finalidade de contribuir para o diagnóstico diferencial dos pacientes. Há ainda, relatos de participação efetiva de assistente
em experiências de Projeto-piloto, do tipo: "Comunidade Terapêutica" e "Hospital Dia". Foi organizado, também, o primeiro Programa de Estágio através do estabelecimento de intercâmbio com a Faculdade de Serviço Social da PUCSP.
1977 - Outro marco na história deste Serviço Social, aconteceu com a implantação da estrutura organizacional de Serviço, que vigora até os dias atuais. Orientado pela políticas institucionais internas e de Saúde Pública, as atividades foram diversificadas, tanto as específicas de Serviço Social, como as relativas à equipe multiprofissional. Tem realizado atendimentos individualizados e/ou em grupo, a partir da constatação de situação-problema de natureza social e familiar, que interfiram na saúde do usuário. A orientação do trabalho com pacientes familiares tem sido, basicamente, de duas naturezas: informativa e de abordagem sócio-educativa.
Áreas de Interesse:
As atividades desenvolvidas pelo Serviço Social estão distribuídas nas seguintes áreas:
Avaliação Social breve:
Encaminhamentos as recursos da comunidade conforme a regionalização da Saúde, de pacientes e familiares em tratamento no ambulatório, além da demanda espontânea da população que procura o IPq;
A avaliação social dos pacientes e familiares em acompanhamento ambulatorial, para possível intervenção nos aspectos sociais, familiares e de trabalho.
Atividades emergenciais:
Atendimentos realizados de acordo com as ocorrências no Pronto Atendimento e Ambulatório, que demandam intervenção imediata.
Atividades nas Unidades de Internação e Centro de Reabilitação - Hospital Dia.
O Serviço Social participa de atividades didáticas, reuniões clínicas, grupos de supervisão, atendimentos individuais a pacientes e/ou familiares quando detectadas suas necessidades; e atividades grupais com pacientes, como seguem:
Grupo de cidadania: atividade semanal que tem por objetivo discutir questões relacionadas a doença, o tratamento e ao papel social da mulher.
Grupo de licença: atividade semanal que visa discutir a licença médica de final de semana, sua importância no tratamento, bem como preparar o retorno dos pacientes ao seu meio social.
Assembléia: atividade semanal que tem o propósito de discutir as questões da enfermaria, tanto as de área física, quanto as referentes aos relacionamentos interpessoais.
Grupo de familiares: grupo semanal dirigido a familiares de pacientes internados, com duração de 60 minutos. Tem como objetivo, refletir questões a cerca da doença mental e sua repercussão no meio familiar, e discutir ainda, o papel e o compromisso com o tratamento proposto pela equipe.
Reunião com familiares (Workshop): atividade quinzenal aos sábados, seu público alvo são pacientes do IPq e seus familiares, que recebem informações quanto ao tema infocado no dia e as orientações quanto aos tipos de tratamento. Dessa atividade participam residentes, psicólogos e assistentes sociais da enfermaria feminina, ficando com cada um destes a coordenação de um subgrupo de discussões, com os quais se finaliza as atividades do dia.
No CRHD, uma das metas do Serviço Social é a reinserção de determinados pacientes no mercado de trabalho, através de informar e conscientizar setores da sociedade.
Atividades de ensino:
Em 1999, o Serviço voltou a dar continuidade ao curso de aprimoramento, iniciado na década de 80, tendo qualificado profissionais de Serviço Social na área da Saúde Mental.
Em 1999, duas assistentes sociais deste Serviço concluíram a formação acadêmica, iniciada em 1995, na especialidade de abordagem sistêmica da família, pelas universidades: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e Universidade de São Paulo; estando portanto, habilitadas e qualificadas como especialista em família, além de terapeutas de família.
Serviço Social e Assistência:
procedimentos imediatos e de emergência social
atendimento individual informativo-educativo
atendimento individual terapêutico
atendimento individual socializador
grupo informativo-educativo
grupo terapêutico
grupo socializador
terapia familiar
visita domiciliar
assistência domiciliar
atuação preventiva


Serviço Social e Comunidade:
cadastro, atualização e informatização de recursos médicos sociais
visita domiciliar
assistência domiciliar
acompanhamento terapêutico
atuação socializadora
atuação preventiva
visita institucional
Serviço Social e Ensino/Pesquisa
banco de dados sociais do paciente HC
banco de dados dos recursos médicos sociais
sistema de informática
programas de aprimoramento profissional
programas de supervisão
programas de educação continuada
intercâmbio de Serviço Social - USP/UNESP/UNICAMP
grupo de estudo de Teoria do Serviço Social
grupo de estudo de Pesquisa Social
grupo de estudo de Teorias de Saúde Mental
grupo de estudo de Teoria Sistêmica
grupo de estudo de Serviço Social Forense

Sem comentários:

Enviar um comentário