Loading...
Loading...

Pesquisar neste blogue

A carregar...

terça-feira, 8 de Março de 2011

MOVIMENTOS SOCIAIS

ANÁLISE TEÓRICO-METODOLÓGICA

• O que são os movimentos sociais?

• Como entendê-los teoricamente?

• Como analisá-los?

• Todo movimento é movimento social?

• Toda manifestação coletiva é movimento social?

• Como caracterizá-los?

• Quais as fases do seu desenvolvimento?

• Quais as categorias e tipos de movimentos sociais têm no Brasil?

Movimento Social é uma noção presente em diferentes espaços sociais:

- acadêmico

- político e das políiticas

- meio popular


Envolve sempre um coletivo de pessoas demandando algum bem material ou simbólico.


QUAL MOVIMENTO SOCIAL CONHECE?

O QUE SÃO, PARA NÓS, MOVIMENTOS SOCIAIS?


• São várias as interpretações do que são movimentos sociais. Isto porque:

a) São várias as mudanças nas ações coletivas da sociedade civil,
no que se refere ao seu conteúdo, suas práticas, formas de
organização e bases sociais;

b) Mudanças nos paradigmas de análise dos pesquisadores;

c) Mudanças na estrutura econômica e nas políticas estatais.


PARÂMETROS MÍNIMOS PARA UMA CONCEITUAÇÃO TEÓRICA


PRIMEIRO:

Þ É preciso estabelecer a diferença entre MOVIMENTO e GRUPO DE
INTERESSES.
Interesses comuns de um grupo são componentes de um movimento, mas não são suficientes para caracterizá-lo.

A ação de um grupo de pessoas tem que ser qualificada por uma série de parâmetros para ser um movimento social:
- deve estar constituído enquanto um coletivo social;
- precisa ter uma identidade comum (ex.: ser negro,
defender as baleias, etc.);
- deve haver uma realidade comum anterior à aglutinação de seus
interesses.


SEGUNDO:

 Há que se diferenciar a designação como movimento para a ação histórica de grupos sociais, como a classe trabalhadora.

O MOVIMENTO DA CLASSE TRABALHADORA não se trata simplesmente de um movimento específico, mas de uma categoria histórica e revolucionária da dialética em oposição à estática.

É a ação da Classe em movimento e não um movimento específico de classe, ou um movimento sindical.

Demarca dois sentidos para o termo movimento: um AMPLO E GERAL e outro RESTRITO E ESPECÍFICO.

TERCEIRO:

 Há que se diferenciar MODO DE AÇÃO COLETIVA de MOVIMENTO SOCIAL.

Uma rebelião, uma invasão, uma luta armada, são modos de ação
coletiva. Podem ser estratégias de ação coletiva e poderão vir a se transformar em movimento, mas não o são por si só.

QUARTO:

 Identificar a esfera onde ocorre a ação coletiva. Diferenciar MOVIMENTO SOCIAL de ORGANIZAÇÃO SOCIAL.

O movimento social não deve se dar num espaço institucionalizado (fora da esfera estabelecida pelas instituições), nem na esfera privada, criando um campo político.

Muitas vezes um movimento social deixa de ser movimento social quando se institucionaliza, quando se torna, por exemplo, uma ONG, enquanto organização de apoio do movimento.

Uma associação de moradores se institucionalizada, é uma organização social e não um movimento social. Mas pode fazer parte do movimento maior que é o comunitário.


CONCLUSÃO:

Primeira aproximação

• MOVIMENTO SOCIAL REFERE-SE À AÇÃO DOS HOMENS NA HISTÓRIA

• A AÇÃO REFERE-SE A UM FAZER ATRAVÉS DE UM CONJUNTO DE PROCEDIMENTOS E UM CONJUNTO DE IDÉIAS QUE FUNDAMENTAL A AÇÃO

• PORTANTO,

MOVIMENTOS SOCIAIS SÃO AÇÕES SOCIOPOLÍTICAS CONSTRUÍDAS POR ATORES SOCIAIS COLETIVOS PERTENCENTES A DIFERENTES CLASSES E CAMADAS SOCIAIS, ARTICULADAS EM CERTOS CENÁRIOS DA CONJUNTURA SOCIOECONÔMICA E POLÍTICA DE UM PAÍS, CRIANDO UM CAMPO POLÍTICO DE FORÇA SOCIAL NA SOCIEDADE.
(Gohn, Maria da Glória, Teoria dos Movimentos Sociais, p.251)

ACEPÇÕES BÁSICAS DE MOVIMENTO

1. AMPLA – Luta social:
Que se refere às lutas sociais dos homens, para a defesa de
interesses coletivos amplos ou de grupos minoritários; conservação de privilégios; obtenção ou extensão de benefícios e bens coletivos,
etc.

2. ESPECÍFICA – Força Social:
Que se refere a movimentos sociais específicos, concretos, datados no tempo e localizados num espaço determinado. Não bastam as carências – elas têm de se traduzir em demandas, que por sua vez poderão se transformar em reivindicações, por meio de uma ação coletiva.

NEM TODO MOVIMENTO SOCIAL É DE CONTESTAÇÃO

- Todo movimento social carrega o gérmen da insatisfação.
- No entanto, ele pode lutar para a manutenção de algo (um bem, propriedade, direito, etc.)



NEM TODO MOVIMENTO SOCIAL TEM CARÁTER DE CLASSE OU LUTA PELO PODER

- Há movimentos, como os ecológicos por exemplo, que lutam pela defesa da natureza (aglutinando adesões de classes sociais distintas), ou movimentos étnicos, religiosos, etc.

MAS, TODO MOVIMENTO TEM CARÁTER POLÍTICO

- Aglutinam bases de apoio: assessorias, lideranças, entidades sócio-políticas, igrejas, ONGs, setores da mídia, etc.

PROPOSTA METODOLÓGICA PARA A ANÁLISE DOS MOVIMENTOS SOCIAIS

ÂNGULO INTERNO Û ÂNGULO EXTERNO

ÂNGULO INTERNO:
 Suas demandas e reivindicações;
 Repertório de ações coletivas que geram;
 Composição social;
 Suas articulações;
 Sua Força Social:
 A ideologia (valores, crenças, idéias) que fundamenta suas reivindicações;
 Seu projeto;
 Sua cultura política e suas práticas;
 Organização
Þ IDENTIDADE DO MOVIMENTO


ÂNGULO EXTERNO:

 Cenário sócio-político;

 Opositores (quem detém o bem demandado);

 Conquistas e derrotas.


FASES DE UM MOVIMENTO SOCIAL

1. Situação de carência ou idéias e conjunto de metas e valores a se atingir;
2. Formulação das demandas por um pequeno número de pessoas (lideranças e assessorias);
3. Aglutinação de pessoas (futuras bases do movimento) em torno das demandas;
4. Transformação das demandas em reivindicações;
5. Organização elementar do movimento;
6. Formulação de estratégias;
7. Práticas coletivas de assembléias, reuniões, atos públicos, etc.;
8. Encaminhamento das reivindicações;
9. Práticas de difusão (jornais, conferências, representações teatrais, etc.) e/ou execução de certos projetos (estabelecimento de uma comunidade religiosa, p.e.);
10. Negociações com os opositores ou intermediários por meio dos interlocutores;
11. Consolidação e/ou institucionalização do movimento.


CATEGORIAS DOS MOVIMENTOS SOCIAIS

1ª Categoria:
Construídos a partir da origem social das instituições que os abriga ou os apóia (ex.: sindicatos, religião, categoria de trabalhadores, etc.).

2ª Categoria:
Construídos a partir de determinados problemas sociais (ex.: saúde, transportes, lazer, etc.). São de dois tipos: a) busca de soluções ou de criação de equipamentos coletivos de consumo; b) pela preservação do meio ambiente.

3ª Categoria:
Construídos a partir das características da natureza humana (ex.: sexo, idade, raça, etc.)


4ª Categoria:
Construídos em função de questões da conjuntura política do país (ex.: sublevação, insurreição, revolução, etc.).

5ª Categoria:
Construídos a partir de ideologias (ex.: anarquismo, marxismo, cristianismo, etc.), criando movimentos sociais concretos a partir de seu paradigma.


(Bibliografia: GOHN, Maria da Glória. Teoria dos Movimentos Sociais – paradigmas clássicos e contemporâneos. Cap.VII. São Paulo:Edições Loyola, 1997)

Sem comentários:

Enviar um comentário