Loading...

Pesquisar neste blogue

A carregar...

segunda-feira, 5 de abril de 2010

Pesquisa científica e os métodos que orientam a investigação em ciências sociais

Visão geral

Formas de conhecimento:
conhecimento empírico(senso comum e ideologia)
conhecimento religioso
conhecimento filosófico
conhecimento científico
Método científico e metodologia científica:
definições: Método nas ciências sociais.
Características: sistemático, com rigor científico, regras e procedimentos metodológicos
ABNT


Conhecimento Empírico

Uma das primeiras formas de conhecimento
Surge há milhares de anos nos grupos humanos
Uma forma rudimentar de explicação de determinado fenômeno, vivenciado por um grupo de pessoas e perpetuado pela tradição e linguagem oral
É resultado da experiência individual e/ou coletiva casual e não intencional, depende diretamente da cultura (universo simbólico), do momento histórico(da contingência sócio-histórica), do meio ambiente físico(do habitat

Não pode ser uma “lei” científica porque é fruto de uma experiência casual, muitas vezes apenas individual, não há intencionalidade de explicar racionalmente o por quê e não se propõe a provar a validade do conhecimento, descrevendo seu método, para outras ocasiões em que possa ser repetido.
Por outro lado, é o conhecimento que orienta agricultores e o homem comum, de forma genérica. É o conhecimento que dá origem à série de provérbios e ditados populares. É o conhecimento “popular”.
A ciência parte, muitas vezes, desse conhecimento para as pesquisas que resultarão em “lei” e “princípios” científicos
Característica - o conhecimento empírico é:
Ametódico: não é produzido intencionalmente, depende do acaso;
Assistemático: não representa, necessariamente, uma regra, um princípio de algo que ocorre e que é válido de modo genérico e pode ser reproduzido através de um determinado método;
Dependente: sempre influenciado pela cultura, pela contingência sócio-histórica e pelo meio ambiente( físico, geográfico, pela condições climáticas)





Conhecimento Empírico e
Senso Comum


O critério de distinção do senso comum é o conhecimento acrítico, imediatista, crédulo. O homem simples ‘sabe’ de inflação, mas seu conhecimento é diferente do daquele do economista, que é capaz de elaborar uma teoria da inflação, discutir causas e efeitos. Pode-se colocar no senso comum modos ultrapassados de conhecer fenômenos ou também crendices sem base dita científica. O agricultor pode ter seu método de previsão de chuva, ligado a insinuações que considera indicativas, como certo comportamento de um pássaro; o agrônomo orienta-se por indicadores bem diferentes.

O senso comum é assim marcado pela falta de profundidade, de rigor lógico, de espírito crítico, mas não possui apenas o lado “negativo”, a começar por ser o saber comum que organiza o cotidiano da maioria. O lado mais positivo do senso comum é o bom senso, entendido como saber ao mesmo tempo simples e inteligente, sensível ao óbvio, circunspecto. Entretanto, diante da ciência é considerado como postura deficiente e, no extremo, a própria negação dela.


Conhecimento Empírico,
Senso Comum e Ideologia


O critério da ideologia é seu caráter justificador de posições sociais vantajosas. Enquanto o senso comum está despreparado diante de uma realidade mais complexa do que imagina sua visão ingênua, a ideologia é intrinsecamente tendenciosa, no sentido de não encarar a realidade assim como ela é, mas como gostaria que fosse, dentro de interesses determinados.

Para manipular a realidade de acordo com seus interesses, a ideologia usa de instrumentos científicos, no que pode adquirir extrema sofisticação. Pode chegar a inversão da realidade, quando não só deturpa, mas inverte os fatos, fazendo de versão, fatos.

Ideologia é compreendida como sombra inevitável do fenômeno do poder, que dela lança mão para se justificar. Poder sagaz que não diz que é poder, que deseja dominar, que busca vassalos, que detesta contestação. Diz que é participação, desígnio de Deus, mérito histórico, boa intenção em favor dos fracos. Ideologia não é apenas sistema de crenças, maneira particular de ver as coisas, mas específica justificação de serviço ao poder (Karl Marx).
Visão de mundo e de homem (Gramsci). Pode ser nada mais que a satisfação de uma necessidade básica humana.

Nota:
É sempre mais fácil dizer o que não seria ciência. Simplificadamente, não são ciência a ideologia e o senso comum. Mas não há limites rígidos entre tais conceitos, pelo que aparecem sempre mais ou menos misturados. A ciência está cercada de ideologia e senso comum, não apenas como circunstâncias externas, mas como algo que está dentro do próprio processo científico, que é incapaz de produzir conhecimento puro, historicamente não contextuado.



Conhecimento Religioso


Surge paralelamente ao conhecimento empírico;
Forma de explicar fenômenos para os quais a experiência individual não era (e continua a não ser) suficiente para a compreensão da realidade;
Forma de explicar fenômenos supranaturais e/ou de suportar o incogniscível, o incomensurável. (p.ex.: porque um raio destruiu a minha tribo e não a tribo vizinha? Foi castigo de Deus!)
Utiliza um conceito-chave (dogma=Deus) aceito como verdade inquestionável;
Depende da crença/fé e nunca da dúvida sistemática, da comprovação.


Conhecimento Filosófico


Sistema de conhecimento conceitual, racional, com o delineamento de algumas premissas que se preocupam com o que somos, de onde viemos, porque estamos aqui e para onde vamos
Parte em busca da Verdade e das verdades, da Virtude e das virtudes e assim por diante....
É a incubadora da Ciência atual (dá origem às ciências) na medida em que desenha o sistema das premissas para a construção do método científico.(a lógica)


Conhecimento Científico


Na realidade não há coincidência entre sua aparência e sua essência, entre a manifestação da realidade e sua real constituição.

O Conhecimento não se reduz ao dado sensível e visível da realidade, tal como aparece ao homem, deve ser descoberto por trás da aparência. O fenômeno tal como é realmente.

O desvelamento do fenômeno não ocorre de maneira espontânea é tarefa do método de investigação, que vai analisar fenomeno/essencia; geral/particular/singular; a totalidade.
O conhecimento cientifico não é um simples reflexo do fenômeno, mas um profudto do esforço intelectual do pesquisador.
Na construção do conhecimento, o pesquisador age prática e intelectualmente sobre o seu objeto de investigação e o reconstrói no seu pensamento, a partir de:
1- A percepção da realidade: conhecimento sensível/empírico;
2- Da percepção da realidade ao pensamento abstrato: tentativas de rupturas com a aparência dos fenômenos, descobre seus nexos, aproxima-se da essência. È preciso seguir o processo de abstração do pensamento, que consiste na análise das percepções obtidas e na síntese de seus elementos constitutivos, mediante conceitos que reconstituem aquele mesmo fenômeno com nova configuração intelectual. Exige associação, análise, nexos, síntese..
3- Do pensamento abstrato à prática: o conhecimento obtido mediante a passagem da percepção da realidade á abstração retorna a essa mesma realidade, agora, com capacidade explicativativa, possibilitando uma compreensão mais abrangente e profunda. Assim, a teoria dá suporte a ação humana. Surgiram situações que exigirão novas teorizações, de modo a explicar os elementos ainda não conhecidos...

Metódico: é produzido intencionalmente, não depende do acaso. Não ocorre de maneira espontânea na vida das pessoas;
Sistemático: representa, necessariamente, uma regra, um princípio de algo que ocorre e que é válido de modo genérico e pode ser reproduzido através de um determinado método;
Produz conhecimento - pesquisa, sistematiza, formula resultados para repensar a intervenção profissional, para formulação de políticas públicas....

Sem comentários:

Enviar um comentário